Microsoft lança Open Application Model (OAM), Rudr e Dapr para ajudar no desenvolvimento de microsserviços

A Microsoft anunciou ontem três boas iniciativas para desenvolvedores de aplicações que precisam rodar na nuvem. Foram elas: Open Application Model, Rudr e Dapr.

Open Application Model (OAM) e Rudr

Open Application Model é uma especificação aberta, desenvolvida em conjunto com Alibaba, para projeto de softwares, que separa, de forma explícita, as atividades desenvolvimento de aplicações, operação de aplicações e operação da infraestrutura. Segundo OAM, cabe aos desenvolvedores criar componentes, descrever o que eles fazem e como precisam ser configurados; aos operadores da aplicação cabe a responsabilidade de realizar a configuração de acordo com as características do ambiente; por fim, cabe aos operadores da infraestrutura manter o ambiente saudável para manter as aplicações funcionando.

Rudr é uma implementação de referência da OAM, fornecida pela Microsoft, para Kubernetes.

Dapr

Dapr é um ambiente de execução que provê building blocks para o desenvolvimento de aplicações escaláveis, como as desenvolvidas com arquiteturas baseadas em microsserviços, que rodem na nuvem ou na borda, agnóstico de plataforma e linguagem de programação.

Os building blocks de Dapr podem ser usados conforme necessidade e vontade e operam em uma arquitetura sidecar com a aplicação. Ou seja, com alterações mínimas de código. Eles resolvem problemas comuns como chamadas entre serviços, gestão de estado, mensageria e distributed tracing.

Por que OAM, Rudr e Dapr são importantes?

Desenvolver aplicações distribuídas, como aquelas baseadas em arquiteturas com microsserviços, não é atividade trivial. Há uma série de práticas, padrões e técnicas que precisam ser abordadas de forma coerente para não onerar, principalmente, processos de desenvolvimento, operação e deploy.

Nesse contexto, tanto OAM (e Rudr), quanto Dapr, aceleram o progresso tecnológico indicando boas práticas e boas implementações.

Em posts futuros vamos mostrar aplicação dessas tecnologias.

Em Resumo
  • O Problema

    Desenvolver aplicações escaláveis e distribuídas não é atividade trivial. Afinal, demanda utilização de técnicas e padrões que não são comuns para a maioria dos times de desenvolvimento e de operações.
  • A Solução

    A Microsoft produziu uma especificação (OAM) compilando as melhores práticas para desenvolvimento e operação de microsserviços, bem como um conjunto de soluções para os desafios mais frequentes (Dapr). Ambas, em código aberto e livre.
  • Os Benefícios

    Tanto OAM (e Rudr) quando Dapr são soluções robustas para problemas recorrentes, implementadas com alta qualidade. Estas ofertas aceleram e qualificam as entregas de aplicações distribuídas para rodar na nuvem ou na borda.

Elemar Júnior

Microsoft Regional Director e Microsoft MVP. Atua, há mais de duas décadas, desenvolvendo software e negócios digitais de classe mundial. Teve o privilégio de ajudar a mudar a forma como o Brasil vende, projeta e produz móveis através de software. Hoje, seus interesses técnicos são arquiteturas escaláveis. bancos de dados e ferramentas de integração. Além disso, é fascinado por estratégia e organizações exponenciais.

Talvez você goste também

Carregando posts…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *